Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

O meu pouco mais de metro e meio, o meu corpo franzino (já foi bem mais) e a sorte de ter um rosto sem rugas faz com que pareça mais nova do que na realidade sou. O que faz com que por vezes me tratem como uma miúda. Detesto quando isso acontece, não gosto que se dirijam a mim e me tratem por tu (depende das situações, claro) e também não gosto que estranhos  gozem brinquem comigo sem me conhecerem de lado nenhum.

Hoje o dia não estava correr nada bem (vem sendo um habito, ultimamente), pois tive de ir colocar o meu carro na oficina e cheira-me que esteja a morrer ou então vai ressuscitar, mas à conta de um pipa de massa. Estava cansada, com dor de estômago, com uma azia que quase me matava e ainda tinha de preparar a mala para amanhã ir para Marrocos por isso decido apanhar o autocarro para não ter de ir a pé. Devo referir que muito, mas muito raramente os utilizo, ou seja não sei os trajectos que cada um faz.  Quando vi o autocarro fiz sinal para parar entrei e a conversa que se seguiu foi a seguinte:

Eu -Boa tarde.

Engraçadinho- Boa tarde vai para onde?

Antes de eu dizer para onde fecha a porta e arranca.

Eu- Quero ir para a rodoviária.

Engraçadinho- Primeiro vamos ter de ir a S. Pedro buscar umas pessoas, não se importa pois não?

Ai importava importava, não ia fazer 22 quilómetros quando estava a fazer conta de fazer apenas 2. 

Eu- S. Pedro?  Se faz favor pare para eu sair...

Engraçadinho- Não posso parar sem ser nas paragens e agora só em S. Pedro.

Ele com um ar sério, as 2 velhotas que iam no autocarro sem nada dizerem e eu a tentar processar aquela situação ridícula.

 Eu- O Sr. tem de parar, pois só me disse que não ia parar a rodoviária depois de fechar a porta e começar a andar.

Engraçadinho- Estás com pressa? Vais trabalhar?

Eu- Não, não vou trabalhar, mas tenho compromissos...

Depois de me ver com cara de poucos amigos diz "Olha, olha acreditou no que eu disse!"

Naquela altura estava capaz de o esganar, mas quem pensava que era aquele tipo para me falar daquela maneira? Esteve a gozar comigo o tempo todo?

As velhotas diziam "coitada estava toda aflita."

Engraçadinho- E não achou graça nenhuma, a rapariga.

Eu- Sabe nem todos os momentos são bons para brincar muito menos quando não se conhece as pessoas.

Engraçadinho- Pronto, pronto queres vir beber um café?

Queres beber um café? Aquele idiota continuava a tratar-me por tu. Tive vontade de lhe responder " Vá andado e peça 3 cafezinhos, um para si, outro para mim e outro para o meu marido.  Antes de lhe virar as costas atirei-lhe um olhar fuzilante.

Será que tive motivo para me irritar ou exagerei e devia brincado com a situação?