Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Alguns já sabem do meu pavor pelo mar, piscinas e afins. Felizmente em relação ao duche este problema não se põe.

Isto para dizer que não lido muito bem com a agua e talvez por isso muito raramente me lembro de ver se o meu carrrito precisa dela.

A semana passada liguei o aquecimento uma vez que além frio os vidros estavam um pouco embaciados. Assim que rodei o botão ouvi um barulho estranho e pensei "ah deve de ser de não ter agua no recipiente de lavar os vidros".

Riam-se que eu mereço. Esta é uma prova em como não entendo nada, nadita de mecânica e coisas do género.

Felizmente o Miguel veio até Portugal  e calhou em conversa do carro fazer o tal barulho estranho.

-Quando ligo o botão do aquecimento aquilo faz uma barulheira, achas que é por não ter agua para limpar os vidros?

-O aquecimento não tem nada a ver com essa agua. Por acaso tens visto de o radiador tem agua?

-Não...

-Pois então acho melhor veres porque quer-me parecer que o carrito vai dar as ultimas.

No dia seguinte fui até à garagem munida de uma garrafa de agua.

Até me custa dizer, mas o carro não tinha uma pinga de agua.

Ora se o meu Miguel não viesse a Portugal, a esta hora já tinha feito o funeral ao meu carrito.

O meu trauma com a agua não se fica por aqui, mas também passa pelas plantas. Sim, sim ora as mato com agua a mais ou com agua a menos.

Não tenho emenda!

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.