Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Depois do entusiasmo da escritura da casa fiz uma lista do que tínhamos para tratar.  Tratar da instalação do contador da luz e da agua era prioritário. 2 dias depois já tinha agua, luz e o pedreiro já tinha iniciado as obras. No dia seguinte recebo um telefonema da empresa de condomínio a perguntar se já tinha agua. Depois de eu confirmar diz-me para ir até ao apartamento pois havia alguns vizinhos que estavam com a agua a sair do respiradouro da casa de banho. Fiquei em pânico e lá fui.

Encontrei uma torneira aberta. Aparentemente havia um tudo roto que deixava passar agua para alguns vizinhos. A solução era colocar tubos novos. Contactamos o canalizador e o problema ficou resolvido... durante uns tempos.

Depois de muitas varias peripécias desagradáveis e muito stress lá fomos nós para a casa nova. As obras ainda não estavam terminadas graças ao pedreiro "cumpridor", mas tínhamos de entregar a antiga e optamos por ir conviver com muito pó e bastante barulho.

Já lá estávamos há uns dias quando recebo novo telefonema da administração do condomínio. Estava novamente a aparecer agua em alguns vizinhos. Eu perguntava "mas como é possível se temos a tubagem exterior e não me aparece nenhuma fuga? O contador também não mexe com as torneiras fechadas".

Não me sabiam responder, mas visto termos sido os últimos a vir morar para o prédio deduziam ser um problema daqui.

Foram alguns dias com testes. Só podíamos utilizar uma casa de banho por dia. Uns dias aparecia agua outros não. Ainda questionamos se não seria do 5º andar, uma vez que não vivia ninguém no 6º nem no 8º e eu estava no 7º. Todos os envolvidos achavam que não podia ser pois tinham feito a canalização exterior e antes de nós irmos para lá nunca tinha havido problemas.

Como se não bastasse o chão começou a levar numa das zonas do corredor. Na minha ideia ali estava a prova de que havia realmente uma fuga. Já imaginava o chão da minha casa cheio de agua e o tecto da vizinha por baixo a cair. Infelizmente a dona encontrava-se no estrangeiro e não havia contacto de ninguém para ir verificar.

Não tive alternativa se não accionar o seguro multi riscos. Confesso que me senti uma "criminosa" quando foi ao banco preencher a papelada. Tínhamos feito o seguro à cerca de 1 mês e já o ia accionar.

O perito veio e depois de eu lhe explicar tudo diz-me que teríamos de fazer mais pesquisa uma vez que nada garantia que o problema seria dali.

Chamei o canalizador para dar opinião e segundo ele a única alternativa era rebentar com a parede da casa de banho pois o problema deveria ser na tubagem dos esgotos. E ai já se colocava outra questão "seria na minha própria casa ou seria na tubagem comum?"

Nesse caso passaria a ser da responsabilidade do condomínio resolver o problema, ou seja accionar o seguro. 

Durante uns tempos a minha casa era uma casa aberta tal era o entra e sai. Umas vezes do meu canalizador, outras do canalizador do condomínio, dos peritos do seguro e de alguns vizinhos.

Não queria acreditar que depois de ter tudo arrumado, de me ter livrado raio  do pedreiro iria ter de começar novamente a conviver com obras.

 

 

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    marrocoseodestino 18.02.2018 19:47

    Melhor será tentar as 2.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.