Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Comecei a conversa sem lhe perguntar o que se passava, pois não queria ouvir novamente " não se passa nada". Disse-lhe que me trava com frieza, dei-lhe exemplos, disse-lhe que também achava que tinha direito a ficar sentida de nunca me perguntar pela minha filha, ou pelos meus pais, disse-lhe que sentia que o valor da amizade não era visto da mesma forma por uma e por outra e disse-lhe que gostava de perceber o que se tinha passado para nos tornarmos quase 2 estranhas. Confessou que realmente a nossa amizade tinha mudado, mas que achava que era uma fase, que não tinha noção de me tratar com frieza, que realmente nunca me perguntava pela minha família, mas que nunca o tinha feito anteriormente e não era por mal. 

Voltei-lhe a perguntar o porquê das coisas terem mudado? Se tinha havido algo que eu tivesse dito ou feito. Respondeu-me que não tinha havido nada de especial.

Disse-lhe que mais magoada ficava, pois não havendo motivo era sinal que a nossa amizade não valia nada. Que tinha a consciência tranquila de que tinha feito tudo para a manter, inclusive falar com ela todas as vezes que sentia que algo não estava normal. Que me custava dizer que aquela amizade me estava a fazer mal, mas que tinha de o dizer, pois era a realidade.

No final disse-me que não queria perder a minha amizade, que era uma amizade sincera e que iria fazer os possíveis para mudar, ainda que não achasse que tivesse errado.

Disse-lhe que era melhor dar-mos tempo ao tempo e que se a nossa amizade não sobrevivesse era porque não tinha de ser.

Já em casa recebo uma mensagem a dizer que tinha estado a pensar e que realmente não tinha agido bem, que tinha sido egoísta e que me agradecia de ter sido tão honesta pois só depois de falarmos é que se tinha apercebido que me tinha magoado e que desejava não ser tarde demais.

Passaram 3 dias e continuo triste, magoada e desiludida. Uma amizade tem fases? Fases menos boas apesar de não haver nada?

Ainda assim não vou dizer que não quero mais aquela amizade. Vou dar tempo ao tempo de deixar acontecer o que tiver que acontecer.

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.