Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Acontece por vezes amigas desabafarem sobre a vida, sobre os problemas da vida e os arrufos com os companheiros e por norma oiço e não gosto de dar opiniões. Já diz o ditado "entre marido e mulher não metas a colher".

Mas quando ontem encontrei uma  amiga e quando lhe pergunto se está tudo bem e me responde com os olhos cobertos de lágrimas "não", a primeira coisa que me passou pela cabeça foi que tinha sido despedida. Pois, não foi  e se lhe perguntar se preferia tê-lo sido não tenho duvidas na afirmação.

O problema é que o companheiro de 10 anos de namoro e 4 meses de vivencia em comum lhe tinha dito que sabia que não a ia conseguir fazer feliz, nem ele proprio o ser com ela.

Mais um pensamento na minha cabeça " Encontrou outra pessoa". Segundo lhe disse não tinha mais ninguém, mas os sentimentos que sentia por ela não eram os mesmos que antes  e que o que o fazia feliz eram os hobbies dele. Também lhe disse que muitas vezes fazia tempo para não ir para casa, pois não se sentia bem por lá.

A miúda, sim uma jovem de 24 anos é uma miúda e estava inconsolável.

Perguntei-lhe o que tinha mudado nestes 4 meses e segundo ela nada. Ou seja ele com os hobbies dele passava muito tempo fora e ela ficava  à espera dele. Perguntei-lhe também como era o namoro e contou-me que nos 10 anos em que namoraram tinham dois dias por semana para se encontrarem e namorarem (isto fazia-me lembrar o meu namoro há muitos anos).

 Ao longo desses anos apenas tirava dois dias por semana para estar com ela os  restantes eram dedicados apenas às coisas que gostava e que lhe davam prazer. E não me refiro ao emprego, porque ai seria diferente. Imagino que depois de irem viver juntos a consciência dele começava a ficar pesada por saber que ela estava sozinha em casa à espera dele.

Sentia que o mundo estava adesabar, mas achava que ele apenas estava confuso e que iam ficar bem. Achava ela e achavam grande parta das pessoas que sabiam da história.

 Infelizmente eu não tenho tanta certeza assim. São vários os sinais, sinais esses que eu já vivi. Muitas coincidências...que me fazem ficar de pé atrás. Certo que cada caso é um caso e o desfecho pode ser diferente.

Apenas lhe pedi para pensar a longo prazo. Pensar se daqui a 2, 3 anos se vê com a mesma vida e se acha que será feliz.

Em resposta diz-me que o ama, que não se importa de ficar em casa à sua espera e que ultimamente ela lhe tinha dito algumas coisas que não queria dizer.

 Coisas como " Sinto-me apenas como a tua empregada", "Chegas a casa e não me ajudas".

Infelizmente estas frases dizem muito e se as disse é porque as sentiu nessa altura.

Espero que consiga ver a longo prazo que se poderá ser feliz ou não e tomar a decisão certa.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.