Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Domingo, dia da mãe fui trabalhar até às 16 horas e quando cheguei a casa a minha filha não estava. Felizmente que tenho os gatos para me fazerem companhia. A filhota chegou passado uma horita, deu-me um beijo e nada de desejar "feliz dia da mãe". Tinha esperança que entretanto se lembrasse e me viesse dar outra beijoca. Entretanto aparece na sala e diz que veio só trocar de roupa e que ia sair novamente. Confesso que fiquei tristonha e digo-lhe " Obrigado por te lembrares do dia da mãe".  Pior fiquei quando me diz " É pá pois é." e vai embora. 

Fiquei a remoer e a pensar na filha insensível que tinha criado. 

passado algum tempo chega a casa com um grande saco e diz-me "feliz dia da mãe. Não me tinha esquecido, mas não tinha tido oportunidade de comprar a prenda".

Acabei por ficar com a consciência pesada.

Ah, deu-me uma mala linda.

 

Desde que o Miguel se foi embora que raramente durmo na cama, pois adormeço no sofá e por ali acabo a noite. Sábado não foi excepção. Adormeci cedo e cerca da 1,30 h acordei com a chegada da filhota. Levantei-me e fiz-lhe companhia, ambas com uma taça de cereais à frente. Voltei novamente para o sofá e rapidamente adormeci. Acordo com o som de uma mensagem no telemóvel. 2,15 da manhã. Naquela altura não me lembrei que a filhota já estava e casa e claro como todas as mães (quase todas) fiz logo o filme em que a miúda estava em apuros. Olho para o telemóvel e vejo um numero que não consegui identificar o que me fez ficar mais ansiosa. Abro a mensagem e lei-o " A consulta de gastro do dia 2 de Junho foi remarcada para dia 23..."

Fiquei danada a praguejar "mas isto são horas de mandar uma mensagem?". Imagino que seja automático, mas caramba será que não podiam programar a mensagem para uma hora decente?

Voltei a deitar-me e o gato para me arruinar ainda mais a noite decide fazer uma corridas atrás da irmã. Eu com receio de acabar com nova tatuagem decidi ir para a cama. Nem assim me deu sossego. O raio do gato insistiu para se deitar em cima do monte da roupa passada ferro.

20160501_062107 (1).jpg

Acordei com umas olheiras capaz de meterem medo ao susto.  

 

 

MJ  com o teu post fizeste recuar uns valente anos atrás. Quando o Miguel se decidiu a casar comigo (estava a ver que nunca mais) decidimos que seria um casório  com apenas os amigos e os nossos pais, seria um almoço prolongado, mas sem aquela catrefada de pratos e iríamos vestidos sem as tradicionais vestimentas.  

Escolhemos o restaurante que tinha um significado especial (aquele em que ele se declarou num jantar de trabalho, ainda era eu casada), escolhemos a ementa e entregamos os convites. A procura das fatiotas é que foi o caraças. Eu uma agarrada não queria gastar muito dinheiro e depois queria algo especial, mas que pudesse usar noutras ocasiões. Tinha experimentado alguns vestidos sem costas. Ora eu com umas mamocas, digamos avantajadas não poderia ir com elas a balançar. Experimentei outros que sabia que não iria encontrar sutiã para mim. Costas estreitas e mamas grandes, o que fazia com que para ser bom nas costas as mamas ficavam apertadas de tal maneira que saem em  cima e para ficarem encaixadas ficava largo nas costas. Já tinha pensado em desistir do casório quando me apareceu um que achei perfeito. 

Este com sutiã incorporado. 

SAM_3530.JPG

SAM_3531.JPG

SAM_3532.JPG

casamento beta e jp0003.jpg 

Portanto com base na minha experiência concordo com o comentário da Gaffe. Um corpete e o caso está resolvido.

 

 

 

 

 

Pág. 2/2