Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Marrocos e o destino

A ida do maridão para Marrocos trouxe muitos imprevistos, peripécias, aventura e muitas saudades. É aqui que irei tentar "expulsar" os medos, as tristezas, as alegrias e as saudades.

Estávamos numa conversa sobre telemóveis em que a minha mãe dizia que cada vez percebia menos do telemóvel. 

O meu diz " Fazes como eu pegas num martelo e partes-lo todo como fiz ao meu".

Eu tinha a certeza que falava verdade, mas ainda lhe perguntei "tu não fizeste isso pois não?"

Confirmou que o tinha feito. Questionei-o do porquê e diz-me "Então não percebia nada daquilo danei-me e parti-o".

-Partiste-o? Então entretanto se te danares com o carro pegas num martelo e partes o carro todo?

-Sou bem capaz disso.

O grande problema é que não tenho duvidas nenhumas que o possa  fazer.

Oh Deus que eu tenho um pai louco.

 

Regressei das ferias há 8 dias, mas tenho andado com preguiça para escrever por esse motivo o blog esteve ao abandono.

Depois foi os trágicos acontecimentos do fim de semana que me deixaram agarrada à TV. Consoante ia vendo as imagens ia-me recordado do passeio que eu e o Miguel tínhamos dado em 2011. Hoje foi ao antigo blog ver o que tinha escrito. Já naquela altura achei assustador, bonito, mas assustador aquelas estadas estreitas. Já naquela altura pensava como seria se deflagrasse um fogo.

 

Tínhamos feito alguns planos para esta ultima semana, planos esses que saíram "furados".

A ideia era passar uns dias (poucos) em qualquer lado, mas infelizmente teve de haver alterações de planos e acabamos por apenas ir conhecer a piscina de ondas(Praia das Rocas) em Castanheira de Pêra e uma praia fluvial ali perto.

Já não é novidade aqui no "estaminé" que a agua e eu não temos uma relação de muita proximidade.

Claro que esta relação, não inclui a agua na banheira.

Não sendo uma escolha minha isto de ir à piscina, também não ia dizer que não.

Coitado do meu marido já tem de levar com os meus "ai está fria", "ai é muito funda", portanto não lhe podia dizer que achava o dinheiro muito mal empregue.

Nesse dia o S. Pedro deu uma ajudinha e enviou um {#emotions_dlg.sol}maravilhoso.

A primeira paragem foi na praia fluvial Ana de Avis. Um lugar lindíssimo, como podem comprovar pelas fotos.

 

 

 

 

 

Depois de bebermos um cafezinho continuamos viagem e quando vimos estas indicações

achamos que que provavelmente seria interessante conhecer já que tinha a ver com pesca, logo teria agua.

Nessa altura o meu entusiasmo não era tão grande como o do meu marido, mas quando vi um placa a dizer "casas de xisto" o meu cérebro começou logo a fazer planos.

Há uns tempos tinha visto uma reportagem na TV sobre casas de xisto e lembro-me de ter achado muito romântico.

Quando saímos de casa os planos era ir e vir para casa nesse mesmo dia, mas como mulher prevenida vale por duas, toca a fazer a mala com uma muda de roupa para cada um de nós.

E naquela altura pensei " Hum, parece que a mala vai ser precisa".

Pelo caminho o meu entusiasmo  e vontade de ficar ali estava a desaparecer. A estrada, ou melhor o caminho

 

era medonho. Estreito, mas tão estreito que não cabia dois carros e como se não bastasse as ravinas eram enormes.

Voltar para trás era impossível, portanto a única alternativa era subir, subir e rezar para que o carro não desse o "berro".

A subida era tão acentuada que o carro, a grande maioria das vezes tinha de ir em primeira.

Na brincadeira ainda comentamos " vai ser giro se o carro der o "berro" e tivermos de chamar o reboque. Como é que vamos dizer onde estamos?"

Depois de termos já andado muito, lá aparecem as ditas cujas

 

Nessa altura e só queria sair dali, portanto não achei aquilo nada romântico.

Ainda andamos, neste caso tivemos que descer muito até encontrar-mos a indicação para Castanheira de Pêra.

Quando estava perto daquela meia dúzia de casas, no meio de nada  perguntei-me a mim mesmo como é que aquelas pessoas conseguem viver ali?

Se tiverem uma dor, como fazem?

Se houver um incêndio como fogem?

Já tinha visto varias reportagens com aldeias assim isoladas, mas nunca tinha passado ao pé de nenhuma.

Ainda assim aquela não deve ser das piores já que as estradas apesar de estreitas ainda são alcatroadas.

Depois de sairmos dali são e salvos lá fomos nós para a piscina.

Não me passava pela cabeça nem sequer molhar os pés, mas acabei por ter e o fazer.

Os bilhetes foram 5 euros cada e como não me apeteceu pagar mais 7 euros por um chapéu e duas espreguiçadeiras fui obrigada a atravessar a piscina para para chegar à ilha e ter sombra.

A agua estava um gelo, mas em compensação estas palmeiras deram-me a sombra que eu queria.

 

 Apesar de não ser adepta deste tipo de lazer, não dei como perdido o passeio já que pude saborear estes belo pratinho de caracóis!

 

publicado por geriatriaaminhavida às 19:25"

Por aqui fazem-se os últimos preparativos para ir de ferias.

Parece que o snoo não quer ficar.

A vontade de o levar é muita até porque ainda não está o "meu gato", apesar de já brincar e de não estar tão prostrado. 

Sei que vai ficar em boa companhia (com a minha filhota), mas o nosso coração vai apertadito.

20170603_161705.jpg

 

 

 

 

Acabei de ver a noticia de um crime cometido, alegadamente por portugueses, no Brasil.

Estou em choque. Pelo acto bárbaro, mas acima de tudo por ver os sorrisos e os comentários depois de terem sido apanhados.

Mas aquelas bestas não têm coração? A vida humana nada vale para eles? 

Nunca fui a favor da pena de porte, especialmente por se poderem cometer erros, mas nestes casos era bem merecida.

 

Deixo-vos um convite, especialmente para quem gosta de animais.

Dia 4 de Junho às 17 horas vão até ao parque verde do Loures Shopping e fiquem a conhecer o 2 livro do Clube de Gatos do Sapo.

Caso queiram comprar, e eu adoraria que quisessem informo que as receitas revertem para as associações de protecção animal: Tico &Teco e Projecto Amor Animal.

 

 

 

Sem Título1.jpg

Mais de 2 semanas sem escrever. Umas vezes por falta de tempo e outras por falta de animo.

Quero acreditar que a "fase" menos boa está a passar.

A saga da procura de casa continua, ainda que sem grande correria. Durante esta saga descobri que as pessoas julgam que as casas valem ouro, que há avaliadores com critérios diferentes uns dos outros (com enormes discrepâncias) e que apesar de se fazer reclamação no banco nada há a fazer. Através de varias imobiliárias soube que me tinha calhado o "ranhoso" que avalia a grande maioria das casas como sendo barracas. Foi azar? Gosto mais de pensar que algo melhor estará para vir.

Quanto ao Snoo continuamos sem saber se o tratamento resultou ou não. Já fez 3 visitas à veterinária para retirar os pontos, mas acharam que ainda não estaria em condições. Amanhã haverá mais uma ida. Espero que seja desta que venha de narizito limpo.

Quinta Feira foi Quinta Feira da Ascensão, o que quer dizer feriado por aqui e dia de piquenique. Desde sempre me lembro das matas cheias de guente neste dia.

Desde que o Miguel foi para Marrocos que não comemorávamos este dia e apesar de ter de ir trabalhar à tarde não abdiquei da nossa ida à mata. Na véspera trabalhei até às 16,30h e foi chegar a casa e meter-me na cozinha a adiantar alguma comida. Ainda tive de me deslocar ao supermercado para comprar coisas que faziam falta. Deitei-me tarde e levantei-me cedo para me dedicar aos fritos. sim, piquenique sem rissóis e pasteis de bacalhau não sabe a piquenique.

Cheguei ao fim do dia cansada, mas feliz por ter usufruído daquelas horinhas em família e rodeada de natureza.

A saga das mesas marcadas ficará para outro post.

 

Por este andar este blog passa a ser o muro das lamentações, das minha lamentações.

Tenho uma boa e uma má noticia e o melhor é começar pela boa.  O Miguel depois de ter estado sem se conseguir mexer, tendo eu de lhe prestar todos os cuidados básicos da vida diaria no primeiro e segundo dia, já foi trabalhar. Uma dor terrivelmente forte obrigou-o a parar durante quase uma semana. Apareceu assim do nada, sem fazer esforços, sem grandes movimentos, apenas se baixou para tirar as chaves do carro.

 

Assim do nada parou tudo, ou melhor parou tudo o que não tinha a ver com o Miguel. vir com ele para casa praticamente com as mesmas dores com que foi para o hospital e depois de lá ter estado 6 horas não foi fácil . Vê-lo na cama sem se poder mexer fez-me pensar que a qualquer momento perdemos o bem mais valioso que temos. A nossa autonomia.

Arranjei um anjo disfaçado de enfermeira para lhe vir dar as injecções a casa e um anjo disfarçado de fisioterapeuta para lhe fazer massagens, shiatsu e Auriculoterapia (com esferas magnéticas). Todo estes conjuntos de tratamentos fizeram com que ao 2º dia já se conseguisse levantar, apesar de muita dificuldade e ao 3º já tinha apenas uma ligeira dor.

Portanto com ele a coisa está no bom caminho, mas como as coisas por aqui tem sido abanões atrás de abanões agora foi a vez do Snoo.

Na sexta feira começou a sangrar de uma das narinas. Aquela que tinha uma pequena feridita que eu achava que era o cancro a voltar. Infelizmente estava certa. No sábado foi ao veterinário que apesar de não ter feito exames confirmou o que já suspeitamos. Informou-nos das hipóteses que tínhamos. Fazer quimioterapia, que serve para atrasar o avanço, mas sem certeza alguma. Fazer Crioterapia, que serve para destruir os tecidos anormais, mas também sem garantias, pois depende da área com a doença. Avançar para a cirurgia, amputando parte do nariz que embora também não seja garantido que não volte é o que tem uma maior percentagem de ser bem sucedido.

Há ainda a hipótese de não fazer nada e deixar o Snoo viver até onde for possível.

Neste momento vemos um gato mais carente, embora tenha muitos períodos de brincadeira e doideira do costume.

A parte pior é sangramento que apesar não ser constante quando corre acaba por sujar cobertas do sofá, chão e ederdons.

Saímos do veterinário com cirurgia marcada para 4ª feira, mas depois de muito pensarmos, muito pesquisarmos e termos falado com algumas pessoas que passaram pelo mesmo já não sabemos o que fazer.

Já sofreu tanto com as cirurgias que não sei se tenho forças para o ver sofrer novamente. E pior saber que certamente o cancro irá voltar novamente acima do olho. Já se nota a cor mais rosada e com um sinal ainda que muito pequeno de ferida.

Haverá gente que ao ler este post irá dizer "qual é o drama, é apenas um gato", mas é um gato que faz parte da família há 13 anos(mesmo que fosse há 1, 2 ou 3). É um gato que apenas não fala a nossa língua, mas que nos entende e que se faz entender perfeitamente. É um gato que nos deixa a casa cheia de momentos fantásticos, além dos pelos, claro.

Estamos de rastos...

20170505_190247.jpg

20161130_183807.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

Costuma-se dizer que uma desgraça nunca vem só e infelizmente tenho de concordar.

Vejamos então, primeiro foi o senhorio que me mandou a carta (sem estar à espera) da não renovação do contrato, depois veio a procura de casa para comprar que acabou por ir por agua abaixo, para chatear mais um pouco veio a compra da viagem que correu mal e como se não bastasse o Miguel ficou com uma dor tão forte que teve de ir de ambulância para o hospital.

Apesar de me considerar uma pessoa forte, sinto que estou a chegar ao meu limite. O cansaço, o desanimo e a tristeza está a tomar conta de mim...

Se há coisas que me deixam feliz são as ferias e tudo o que as envolve. O escolher, o pesquisar, o marcar, a ansiedade da partida e a chegada do dia.

O destino já estava marcado e reservado, apenas faltava pagar o restante e marcar o voo para Madrid , pois é de lá que embarcamos. Ontem sentámos-nos no sofá em frente ao PC e tratámos disso.

O que supostamente era algo para descontrair tornou-se em algo stressante. Ora não fosse eu o stress em pessoa o que deve fazer com que atraia ainda mais stress.

Fomos ao Site do edreams( pesquisamos em vários), pesquisámos os voos que nos interessavam e depois de fazermos algumas contas para termos a certeza que mesmo com algum atraso não iríamos correr o risco de perder o avião que nos vai levar ao destino das ferias, seleccionamos o escolhido. Antes de fazermos o pagamento confirmamos tudo novamente e demos ordem para avançar. Estávamos aliviados, pois até à data da partida não era preciso pensarmos mais nos voos. Se bem que isso é algo impossível já que o meu medo de andar lá em cima continua igualzinho.

O alivio durou muito pouco. Nem queríamos acreditar que os horários dos voos não eram os mesmo que tínhamos seleccionado. Pior ainda não iríamos conseguir apanhar o avião.

Depois de varias enervantes pesquisas de como fazer para anular ou alterar lá encontrámos o numero de telefone. Varias tentativas e não sei se era do stress de querer resolver a situação não conseguimos nem à primeira nem à segunda.  À terceira foi de vez. O Miguel explicou a situação e do outro lado disseram que não haveria problema em anular já que tínhamos 3 horas para o fazer sem penalização. Perguntamos quanto tempo levariam a devolver o dinheiro e foi-nos dito que as despesas de reserva da edreams demoraria uns 9 dias e que o restante pago à companhia de viagens poderia demorara 1 mês. Garantiu-nos que estava tudo tratado e que agora era só aguardar a devolução.

Voltámos ao site para marcar novamente, fizemos todos os passos, confirmamos novamente os horaios e quando quisemos finalizar apareceu uma mensagem a  dizer qualquer coisa do género "Não pode reservar outro voo quando já tem uma reserva".

Pessimista como sou a primeira coisa que me veio à cabeça foi que a fulana não tinha feito o cancelamento correctamente. Até porque não nos tinha enviado nada a confirmar isso mesmo.

Mais um telefonema em que estivemos cerca de 15 minutos a ouvir musica e à espera de falra com a operadora. Não imagino qual vai ser a conta dos telefonemas, ainda mais quando o numero era o 707, mas magino que seja bem choruda.

Depois de ele conseguir falar com a operadora e de explicar o que tinha acontecido anteriormente e que agora queriamos fazer nova reserva no horário pretendido e não nos era possível pede-nos para aguardar. Depois de muito tempo à espera disse-nos que de facto estava tudo cancelado e se quiséssemos poderia ela própria a fazer a nova reserva. Assim foi. Pedimos para nos enviar um mail com o cancelamento da primeira para se algo corresse mal termos provas que tinha sido feito.

Agora aguardamos que chegue rapidamente o dia 5 de Junho par ir de ferias e que o dinheiro também chegue à conta rapidamente.